Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Aberta consulta pública sobre serviços de computação em nuvem

Notícias

Aberta consulta pública sobre serviços de computação em nuvem

Interessados devem enviar suas sugestões até 24 de março

Os interessados em participar de consulta pública sobre o termo de referência para a contratação de serviços de computação em nuvem devem enviar suas contribuições até o dia 24 de março. O Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MP) disponibilizou, nesta segunda-feira (6), o texto no Portal da Participação Social (Participa.br). A proposta do MP é realizar uma contratação centralizada para que os serviços possam ser fornecidos para os mais de 200 órgãos integrantes do Sistema de Administração dos Recursos de Tecnologia da Informação (SISP).

“Esta é mais uma ação para melhorar a gestão da tecnologia no governo federal. Precisamos parar de construir salas-cofre. Os órgãos devem trabalhar juntos para oferecerem melhores serviços para o cidadão e a computação em nuvem é um dos caminhos para isto, além de gerar economia”, explicou o secretário de Tecnologia da Informação do MP, Marcelo Pagotti.

Os servidores a serem fornecidos para os órgãos do SISP são de nuvem pública abrangendo infraestrutura como serviço (IaaS); gerenciador multinuvem e suporte técnico especializado e também de treinamento. “Estes serviços irão transformar digitalmente o trabalho do SISP no governo federal, a consulta pública servirá para alinharmos o pensamento do ministério com os demais órgãos”, afirmou Pagotti.

SISP é a estrutura organizacional do governo federal para o planejamento, a coordenação, a organização, a operação, o controle e a supervisão dos recursos de TI dos órgãos e entidades da administração pública federal direta, autárquica e fundacional.

Para contribuir com a consulta pública, é necessário realizar um cadastro no Participa.br. Criado em novembro de 2014, o portal é mais um espaço para a promoção do diálogo entre o governo federal e a sociedade civil. Pela internet, os interessados podem ajudar na construção de políticas públicas ao opinar sobre os conteúdos e ações disponibilizados em consulta.

Fonte: Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão.