Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Conselho de Administração da Softex debate uso de softwares públicos

Notícias

Conselho de Administração da Softex debate uso de softwares públicos

Planejamento apresentou experiência com Portal do Software Público Brasileiro

O Portal do Software Público Brasileiro (SPB) foi apresentado, nesta quarta-feira (13), na 59ª Reunião do Conselho de Administração da Associação para Promoção da Excelência do Software Brasileiro (Softex), em Brasília. O site, gerenciado pelo Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MP), oferece softwares livres para atender às necessidades de modernização da administração pública. A Softex atua em iniciativas de apoio, desenvolvimento, promoção e fomento para impulsionar a Indústria Brasileira de Software e Serviços de Tecnologia da Informação (TI).

“Queremos que os órgãos compartilhem o desenvolvimento e o uso de softwares públicos, isto vai reduzir os custos, inclusive com aquisição de licenças, e promover também a integração de desenvolvedores, usuários e prestadores de serviços”, afirmou o secretário de Tecnologia da Informação do MP, Cristiano Heckert. Ao todo, estão disponíveis 85 soluções no SPB, sendo 70 softwares públicos, dois softwares de governo e 13 projetos.

Segundo Heckert, outro benefício das ferramentas livres está na utilização por outros entes da federação. O secretário citou a experiência do I-Educar em Paraubebas (PA). Utilizado para informatizar o sistema educacional do município, o software público está sendo utilizado em mais de 70 escolas, beneficiando 51 mil alunos. O uso da ferramenta já gerou uma economia de R$ 800 mil aos cofres públicos do município, que fica a 708 km de Belém. Este valor é calculado na comparação com um contrato de software proprietário.

SPB

Criado em 2007, o SPB foi reformulado pela Secretaria de Tecnologia da Informação (STI) no ano passado. O portal possui soluções que não exigem o pagamento de licenças. Os softwares públicos estão voltados para atender as necessidades de gestores, empresários, professores, estudantes e cidadãos brasileiros. Nos próximos dias, a STI lançará a nova Instrução Normativa para regulamentar o SPB.

Fonte: Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão.